Dicas da Odontopediatra: Trauma dental nos primeiros anos de vida

Seguindo nossas dicas de Odontopediatria ainda nos primeiros aninhos de vida, um assunto bastante interessante trata-se do Trauma Dental nesta fase do desenvolvimento da criança.

A ocorrência de batidas, fraturas, deslocamentos envolvendo os dentes de leite é muito mais comum até os 3 anos de idade quando a coordenação motora da criança ainda está em desenvolvimento. O início dos primeiros passos, ainda desequilibrados, muitas vezes resulta em quedas onde a cabeça e a face são acometidas primeiramente, sem que haja o prévio apoio das mãos e dos braços.

Neste sentido, a prevenção é muito importante. Todos que convivemos com crianças sabemos que em segundos os pequenos já estão em situações de risco, por isso cuidados simples podem evitar muitos acidentes. Um dos principais, bastante comentado ultimamente, consiste em não utilizar andadores para bebês, já que estes estão muito associados a ocorrências de traumatismos envolvendo a face e os dentes. Um ambiente adequado para a criança também é importante, tendo cuidado com quinas, degraus, escadas e objetos ao seu alcance. Por mais óbvio que pareça, toda cautela com as crianças pequenas é necessária evitando que andem ou corram de meias, no piso molhado ou com objetos na boca (mamadeira, copos e brinquedos). Outra medida já difundida em nosso meio que, entre outros, previne o trauma relacionado aos dentes e boca é o uso de cadeirinha e cinto de segurança ao andar de carro.

Procuramos com estas atitudes pequenas, porém significativas, evitar prejuízos aos dentinhos de leite. Vale lembrar que estas medidas protegem também os permanentes, já que neste mesmo período (de 1 a 3 anos), os dentes permanentes da frente (região mais envolvida em traumas) já estão se desenvolvendo muito próximos das raízes dos dentes de leite.

Na eventualidade de um acidente, é importante manter a calma, limpar a região, comprimir eventuais sangramentos e procurar ajuda. Em algum momento, imediato ou não, o exame da região é interessante para avaliar a extensão do machucado e a possibilidade de problemas no futuro, seja com o próprio dentinho de leite, assim como com o permanente em formação. É importante salientar que nestes casos o exame geralmente não acaba numa única avaliação, pois o monitoramento periódico é importante já que existe a possibilidade de alterações aparecerem após um longo período de tempo.

Giovana Martins Cezar Dutra

Sou dentista, Odontopediatra, mãe do Otávio e da Cecília.

Formada pela UFRGS em 2001, com Especialização e Mestrado em Odontopediatria nesta mesma instituição.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s