Lei Menino Bernardo – Uma reflexão

A Psicologa Natacha Monteiro é a nova parceira da BBDU e escreveu um post muito interessante sobre a Lei Menino Bernardo, lei esta que tem gerado inúmeras manifestações, algumas contra, outra a favor. O texto é muito interessante e faz a gente pensar … Independente se você é contra ou a favor desta lei, acho a reflexão sobre a educação que estamos dando e o mundo que estamos deixando para nossos filhos muito válida.

Lei Menino Bernardo – Reflexões sobre a relação entre pais e filhos!

Recentemente foi aprovada a Lei Menino Bernardo (originalmente chamada Lei da Palmada), título dado em homenagem ao menino de 11 anos assassinado em abril deste ano no Rio Grande do Sul, os principais suspeitos da morte são o pai e a madrasta da criança. A Lei proíbe que a educação (a imposição de regras, disciplina e punição), seja dada por meio da violência, tanto por castigos físicos, tratamentos cruéis ou humilhantes.

Vejo que essa Lei veio auxiliar as pessoas a refletirem sobre a relação entre pais e filhos, sobretudo sobre o impacto que a educação tem no futuro das crianças. Analisando, tem sido culturalmente transmitido que os pais poderiam dar palmadas quando o filho desobedece, porém, em contrapartida, os adultos ficam assustados diante da marginalidade social. Será que a educação que está sendo fornecida as crianças não tem relação com o panorama da sociedade atual?

Os pais que educam através das palmadas acreditam que assim estão transmitindo sua autoridade, mas a agressão gera medo e insegurança. E mais, os pais ensinam que quando o diálogo não funciona, a violência física é a solução, de certo modo “autorizam” que seus filhos sejam igualmente agressivos diante de suas dificuldades. Não é à toa que nossa sociedade é minada de violência em diversos contextos: assaltados, brigas de trânsito e até cenas de novela que enfatizam que a melhor vingança é aquela em que você surra seu inimigo.

Percebo que na realidade muitos pais agem assim pois simplesmente não sabem fazer diferente, e, principalmente, não param para refletir sobre o impacto do seu papel na formação e constituição da identidade do seu filho.

A falta de informação sobre as necessidades psicológicas e biológicas de cada etapa do desenvolvimento infantil geram dúvidas, medos, incertezas e os pais acabam perdendo a paciência diante de comportamentos que não sabem como lidar. Acreditam que a agressão fará com que o filho lhe respeite e obedeça e isso irá impossibilitar que a criança se torne um “marginal” no futuro. No entanto, há outras alternativas baseadas na disciplina positiva que ensinam os pais a fornecer instruções mais precisas, a envolver as crianças nas decisões, a dizer mais o “sim” para quando o “não” for utilizado ter maior validade, entre outras ações.

A infância é o período mais importante na formação da personalidade, onde o cérebro registra todas as experiências. Disciplinas físicas criam traumas, geram problemas emocionais e comportamentais, deixam marcas profundas na identidade das crianças, que se tornam adultos inseguros, com dificuldade de lidar com suas emoções. Assim, o vínculo entre pais e filhos vai determinar o modo como o adulto irá reagir diante de situações de crise (estresse, frustrações, conflitos) e como irá estabelecer suas relações interpessoais.

É função dos pais ajudar os filhos a conhecer os sentimentos, sabendo expressá-los adequadamente em cada situação, promovendo o desenvolvimento cognitivo, emocional, social. Educar diz respeito a transmissão de valores éticos, princípios que irão ajudar os jovens a se tornarem bons cidadãos, sabendo respeitar o próximo, promovendo relações de diálogo e empatia.

Queremos uma sociedade diferente? Falamos que “os jovens são o futuro da nação”? Então vamos educá-los para fazer diferente, ser mais e melhor do que nós.

Diante do que foi exposto, concluo que a Lei Menino Bernardo é uma ótima ação educativa, um momento para avaliarmos sobre o que é ser responsável pela educação de uma criança e quais as maneiras de colocar isso em prática.

FONTES CONSULTADAS:
http://crescersemviolencia.wordpress.com/
http://paizinhovirgula.com/praticando-a-disciplina-positiva-criacao-com-apego/
http://educarparacrescer.abril.com.br/comportamento/educar-palmadas-589398.shtml

maeefilho

Anúncios

One thought on “Lei Menino Bernardo – Uma reflexão

  1. Reblogged this on Maternidade, Pediatria, Fotografia. and commented:
    Post muito bem escrito pela psicóloga Natacha Monteiro, chamando os pais neste momento a refletir sobre educação e disciplina com seus filhos. Concordo que criança não vem com manual de instrução, porém criar um filho é uma das tarefas mais importantes que fazemos na vida. Portanto, acho interessante ler, refletir e se educar sobre o assunto. Instinto não é o melhor orientador. Informação sim

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s