A espera do irmãozinho!

chegada_do_irmão

Assim como a primeira, a segunda gestação também provoca vários sentimentos ambivalentes nas mulheres: a alegria por estar novamente gestando um bebezinho e o medo de não saber dividir seu tempo e sua atenção com o filho mais velho.
Assim, a gravidez gera profundas transformações em toda dinâmica familiar, valendo ressaltar que o irmão primogênito vive também imerso num mar de dúvidas a respeito do que está acontecendo em sua vida, por vezes teme perder o seu lugar e o amor dos pais. Por causa desses anseios é muito comum que adotem atitudes mais regressivas, como voltar a usar fraldas, chupeta, chorar por qualquer motivo, solicitar o colo dos pais, fazer mais “birras”, etc. Crianças pequenas não sabem demonstrar seu sentimento de forma clara, usam esses comportamentos como sinal de que precisam de amparo e ajuda para elaborar essas transformações.
É importante, portanto, que os pais adotem uma postura de compreensão, diálogo, paciência e muito carinho. Este é o caminho para ajudar seu primogênito a lidar de uma forma mais equilibrada com a gestação e o nascimento do irmãozinho.
Uma atitude a ser tomada durante a gestação é inserir o filho mais velho nos acontecimentos relacionadas a chegada do mano, isso fará com que ele não se sinta deixado em segundo plano, alguns exemplos: ajudar na compra do enxoval, decoração do quarto, acompanhar a mãe em exames médicos, solicitar sua ajuda sempre que possível (valorizando suas potencialidades), estimular que toque e converse com o irmão na barriga da mamãe, etc.
Apesar de todo esse envolvimento, vale lembrar que crianças muito pequenas não tem a mesma noção de tempo que nós adultos possuímos, elas não conseguem compreender quanto tempo falta para a chegada do irmãozinho. Além disso, não conseguem compreender como uma pessoa de verdade está crescendo dentro da barriga da mamãe. Essas expectativas muitas vezes ajudam a desorganização emocional das crianças.
Pensando nisso, a BBDU desenvolveu o Mural das Conquistas – A espera do irmãozinho, que possibilita que a criança vá acompanhando a gestação da mamãe e o crescimento do seu maninho, até o nascimento dele, funcionando como um calendário da gestação.
Sugiro que esse seja um momento em que, de forma lúdica, os pais possam conversar com seu primogênito a respeito do irmão. Podem acariciar a barriga, conversar (quem sabe até cantar) para o mano, entre outras ideias que surgirem da criatividade da família!
Outra dica: se a criança apresentar maiores dificuldades para entender o desenvolvimento do bebê, mostre fotos e vídeos dela enquanto pequena (nascimento, mamando, usando fraldas, brincando), de tal modo poderá ir compreendendo que também cresceu para estar com o tamanho e a idade que possui!

Ainda tem dúvidas de como lidar com o primogênito e a chegada de um novo filho?! Entre em contato, terei o maior prazer em te ajudar!

Natacha Miguel Monteiro
Psicóloga 07/16537
http://www.natachamonteiro.com.br

Facebook: Psicóloga Natacha Miguel Monteiro
E-mail: natachapsico@gmail.com
Fone: (51)98037443

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s