Educação Emocional

emocoes

Muitas pessoas me perguntam porque criei a BBDU e querem saber um pouco mais de como usar alguns produtos e de nossa experiência, pois bem, resolvi escrever alguns textos e compartilhar com vocês aqui no blog. Tentarei trazer informação e um pouquinho de como acontece na minha casa e na casa de famílias que compartilham sua vivência conosco.

Você alguma vez sentiu um aperto no peito e não sabia dizer o que era? Ou já tentou falar alguma coisa que estava sentindo para alguém e deu tudo errado?

Geralmente nós não aprendemos a identificar e falar de nossas sensações e sentimentos como aprendemos matemática ou português. Nós passamos muito tempo estudando e aprendendo coisas e pouco ou nada aprendendo sobre nós mesmos, sobre o que se passa dentro de nós.

Sentimentos como raiva, medo, ciúme tristeza existem e não é porque não falamos deles que não vamos senti-los. Ou pior, às vezes acabamos levando as crianças a acreditar que são sentimentos feios e que não devem ser sentidos. Não deveria ser assim. Nós nascemos com um arsenal de sensações, emoções e sentimentos e precisamos ensinar nossos filhos a administrá-los.

Lá em casa eu gosto muito de nomear os sentimentos para Duda, às vezes ela vem me contar coisas do dia-a-dia dela e como reagiu. Lembro de uma vez numa dança da cadeira que ela veio contar que ganhou toda feliz e que os colegas vieram abraçar ela. Em seguida ela disse que “não gostou” e falou que depois quando outro colega ganhou, ela não o abraçou. Eu conversei com ela, perguntei se ela não achava que não era que ela não tinha gostado ou talvez ela tenha sentido vergonha de quando os colegas a abraçaram, mas que eu achava que no fundo ela havia gostado. Também questionei se talvez ela não havia sentido um pouco de ciúmes quando o amigo ganhou. Enfim, à noite antes de dormir ela me disse: “É mamãe, eu acho que eu senti ciúmes do João”. O que eu quero dizer é que é importante que nós como pais possamos ajudar nossos filhos a dar nome para o que eles sentem.

Os imãs Dentro de Mim foram criados com este objetivo.  Na primeira versão tinha somente sentimentos, mas usando com a Duda percebi que quando eu perguntava como ela estava e ela respondia com frio, calor, entre outros. Portanto, na versão atual, incorporamos as sensações também, pois neste aprendizado inicial é importante que a criança perceba e nomeie o que vem de dentro dela. O fato de serem imãs de geladeira de fácil acesso permite a troca diversas vezes e toda família também pode participar. Já vimos pessoas que fazem brincadeiras de adivinhação com os imãs e um membro da família tem que escolher qual emoção ou sensação o acredita que o outro esteja sentindo. É uma forma bem legal de falar de sentimentos e treinar a empatia.

Eu também leio muitas histórias que falam de emoções e sentimentos para ela, existem muitos livros bacanas hoje em dia, e acredito que seja tão importante quanto ensinar matemática ou geografia. Tenho convicção que ela vai ser muito mais feliz, vai se relacionar muito melhor e fará escolhas muito melhores na vida se souber identificar e nomear o que acontece dentro dela.

Até o próximo,

Juliana

Juliana é psicóloga e criadora da BBDU

Anúncios

Orientando as crianças sobre Emoções

emocoes

 

À medida que vão crescendo, muitas vezes as crianças não entendem porque estão se sentindo de determinada maneira. No entanto, elas podem aprender sobre os sentimentos e emoções através de várias atividades. Ensinar uma criança as diferentes emoções que ela irá experimentar vai ajudá-la a entender melhor o motivo de ela estar triste, feliz ou zangada. É papel dos adultos serem guias neste entendimento, pois somente assim as crianças poderão desenvolver a leitura dos sentimentos dos outros também, e a chamada empatia (capacidade de se colocar no lugar do outro).

É com o tempo que os nossos pequenos aprendem a falar, andar e também a sentir. Pensando em crianças e emoções, as coisas mudam muito rápido: literalmente, de um ano para o outro. No primeiro ano de vida de nossos bebês, apenas 3 das principais emoções são demonstradas e compreendidas por eles: alegria, medo e raiva. A partir dos 2 anos, novas e mais complexas emoções começam a surgir, quando a criança começa a se ver como um ser real e autônomo.

Saber identificar e reagir às emoções não vale apenas para a criança se entender, mas também para ela compreender e ajudar as pessoas a sua volta. Nos primeiros meses de vida, as crianças são extremamente autocentradas, mas isso muda quando a socialização se inicia e passa a ser possível começar a entender a importância do outro. Mais uma vez as regras e disciplinas impostas pelos adultos tem fundamental consequência aqui. A criança aprende que existe o outro, que o mundo não gira em torno dela e que deve esperar. Parece simples? Este é um momento complexo do desenvolvimento neurológico e emocional… Uma habilidade que os seres humanos foram aprimorando ao longo da sua evolução.

Como recursos, podemos utilizar histórias infantis, filmes que falem sobre sentimentos e emoções, ou mesmo estimular as crianças com figuras. Tudo aquilo que é apresentado de forma VISUAL, costuma ser mais bem fixado na aprendizagem. Estimule sempre seu filho a falar sobre suas emoções, e a identificar em rostos e figuras, as emoções representadas.

Pensando nisso, a BBDU elaborou os imãs Dentro de Mim, que foram pensados para ajudar seu filho a reconhecer as principais emoções, através das expressões neles impressas.

Seu uso é simples, no início, auxilie a criança, mostrando cada uma das emoções/sensações e ensine-a a colocar no ímã-moldura a carinha que representa como ela está se sentindo naquele momento. Lembre-a que o que sentimos pode variar durante o dia e que ela poderá “expressar-se” com os ímãs, cada vez que sentir necessidade.

Se você tiver mais de um conjunto de imãs, todos os membros da família podem participar, demonstrando seus sentimentos. Uma boa ideia para este caso é prender fotos de cada um junto com a moldura para identificar qual é de quem.

Os imãs poderão ser usados na geladeira, murais metálicos ou até mesmo em porta retratos metálicos para que possam ser movidos de local mais facilmente.

Contém as emoções:

– Feliz – Triste – Cansado – Preocupado – Com saudade – Com medo- Brabo – Com vergonha – Com ciúme – Com vergonha – Tranquilo – Com sede – Com frio – Com fome – Com calor – Com dor – Com sono

http://www.bbdu.com.br/dentro-de-mim-2-imas-novos-p418/

 

DENTRO DE MIM: CONHECENDO E IDENTIFICANDO AS EMOÇÕES

Você já parou para pensar o quanto pode ser complexo para uma criança entender as suas emoções (próprias e dos adultos)? Falar sobre emoções pode ser complicado e ensinar as crianças a reconhecê-las e expressá-las desde cedo pode dar uma mãozinha lá na frente.

O controle e uso das emoções é muito mais fácil para os adultos, e por eles a criança deve calmamente ser ensinada. Os pais podem (e devem) ensinar aos filhos a canalizarem suas emoções e a identificá-las. A educação emocional faz parte da formação da criança.

Nem sempre levamos em conta a importância do lado emocional nos grandes e pequenos conflitos. Por isso mesmo, compreender esse processo pode ser a saída mais inteligente para uma convivência na sociedade, nas famílias e com outras crianças.

Afinal, é lá fora que nossas crianças mais irão precisar de equilíbrio emocional. Lembre-se, o repertório cognitivo de uma criança ainda não é suficiente para que ela seja capaz de ponderar, refletir e suportar de forma lúcida todas as experiências de sua vida.

Como ninguém recebe um tutorial orientando como lidar com as próprias emoções, esta tarefa pode parecer mais simples do que realmente é…

É importante que os pais trabalhem com as crianças a importância da comunicação, que ensinem a elas como expressar suas emoções e a dizer como se sentem. Também se deve trabalhar a empatia: saber como se sente, mas também como a outra pessoa está sentindo.

A primeira coisa que devem aprender é como perceber e identificar as emoções. Desde bem pequenos, os pais já podem ajudar os filhos a ir controlando as emoções. E o fundamental, quando são pequenos é ensiná-los que sejam capazes de reconhecer as emoções, que saibam quando está contente ou triste, que saibam quando estão chateados, que saibam quando estão com medo e que saibam verbalizá-lo.

Não devemos nos esquecer de favorecer um clima de confiança para que possa haver uma boa comunicação. Que a criança, desde bem pequena, possa comunicar e possa dizer como se sente.

Pensando em tudo isso, a BBDU desenvolveu o kit de imãs DENTRO DE MIM. Um material super lúdico e prático. Esses ímãs foram pensados parDEntro-de-mim-foto-sitea ajudar seu filho a reconhecer as principais emoções, através das expressões neles impressas.

Seu uso é simples e todos os membros da família podem participar. Neste caso, cada integrante terá seu próprio conjunto de ímãs, para que todos possam “demonstrar” como se sentem! Você poderá prender fotos de cada um junto com a moldura, assim identificando qual é de quem.

No início, auxilie a criança, mostrando cada uma das emoções e ensine-a a colocar no ímã-moldura a carinha que representa como ela está se sentindo naquele dia/momento. Lembre-a que o sentimento poderá variar durante o dia e que ela poderá “expressar-se” com os ímãs, cada vez que sentir necessida
de.

Os imãs poderão ser usados na geladeira, murais metálicos ou até mesmo em porta retratos metálicos para que possam ser movidos de local mais facilmente.

O ímã-moldura mede aproximadamente 12,5 cm x 9 cm e cada expressão 6 cm, x 6 cm.

Contém as emoções: Feliz, Triste, Cansado, Sozinho, Com dor, Com medo, Brabo, Com Vergonha e Com Nojo.

É mais uma mãozinha da BBDU para ajudar no desenvolvimento infantil!